NOTÍCIAS
Página incial > Notícias > Nota da Sociedade Brasileira de Atividade Física e Saúde sobre a realização de atividades físicas e práticas corporais no contexto atual de pandemia da Covid-19
14/05/2020

Nota da Sociedade Brasileira de Atividade Física e Saúde sobre a realização de atividades físicas e práticas corporais no contexto atual de pandemia da Covid-19

Imagem

Florianópolis, 14 de maio de 2020

 

Às / Aos profissionais interessados na temática,

A Sociedade Brasileira de Atividade Física e Saúde (SBAFS), fundada em 2007, é uma entidade científica que congrega estudantes, profissionais e pesquisadores de diversas áreas de formação visando o debate qualificado sobre os distintos assuntos que compõem a temática. A SBAFS não é uma instituição de classe ou de representação profissional. Contudo, como entidade científica, legal e legitimamente constituída, tem o compromisso e a competência técnica para se manifestar sobre temas relacionados à atividade física e suas relações com a saúde, seja de interesse individual e/ou coletivo.

Tendo em vista as repercussões relacionadas à pandemia da Covid-19, especialmente no que tange à sua área de atuação, a SBAFS reconhece e louva os esforços e a dedicação dos profissionais da área da saúde do país nas ações de enfrentamento da pandemia, com destaque aos que atuam nos espaços públicos e privados da atenção primária, secundária e terciária à saúde.

Diante do debate que ora se estabelece sobre a reabertura ou não das academias de ginástica e da prática ou não de atividades físicas ao ar livre, a SBAFS entende que qualquer prática física que implique no potencial descumprimento, total ou parcial, das recomendações sanitárias das principais entidades técnico-científicas da área da saúde no mundo para o melhor enfrentamento desta pandemia, com destaque para a Organização Mundial da Saúde, são contraindicadas. Desta forma, a SBAFS entende, no momento atual, como inadequada, e de risco aumentado à saúde por conta da pandemia de Covid-19, qualquer prática física que implique em aglomeração de pessoas, compartilhamento de equipamentos e o distanciamento inadequado entre os praticantes.

Ressalta-se que o distanciamento mínimo normalmente sugerido é de, pelo menos, 1,5 metro entre as pessoas que não estão fazendo atividades físicas/práticas corporais. Estudos de simulação dessas condições no contexto da pandemia ainda são incipientes, mas indicam a necessidade de maior distanciamento em condições de atividades físicas/práticas corporais. Nesse sentido, inclusive a indicação para realização de atividades físicas/práticas corporais ao ar livre deve ser melhor aprofundada, considerando também outras características, como o vento e a posição das pessoas, se alinhadas ou lado a lado, visto que tudo isso pode impactar na definição do distanciamento mínimo seguro em condições de fluxo respiratório aumentado, como nas atividades físicas/práticas corporais.  

Sabemos que a pandemia da Covid-19, para além das situações de saúde individual e coletiva, está impactando também a atividade econômica na maioria dos setores, inclusive da atividade física e dos esportes. Nesse sentido, é importante que os órgãos governamentais fiquem atentos às demandas do setor na formulação das políticas de auxílio, seja para a preservação dos empregos ou para a manutenção de espaços importantes para a promoção da atividade física e da saúde quando as condições sanitárias permitirem. 

Em momentos de normalidade, a SBAFS preconiza que as academias de ginástica, os clubes esportivos, os parques públicos e outros locais de prática, são também espaços de promoção da atividade física e da saúde e locais indicados para a condução de investigações científicas. Entretanto, o contexto de pandemia da Covid-19 impõe um momento de excepcionalidade, onde devem ser respeitadas as recomendações sanitárias para o seu melhor enfrentamento, proteção da vida e dos sistemas de saúde, tanto público quanto privado. 

Considerando, de um lado, a importância fundamental da atividade física/práticas corporais para a promoção da saúde, prevenção e tratamento de doenças e, de outro, as recomendações sanitárias nacionais e internacionais no sentido da tomada de medidas mais drásticas, como o isolamento social e a restrição de circulação, reafirmamos nossa posição de que as pessoas, neste momento, a) não realizem atividades físicas/práticas corporais em ambientes com aglomeração de pessoas, que compartilhem equipamentos e/ou que não viabilizem o distanciamento mínimo necessário adequado para a prática de atividades físicas e b) procurem se manter fisicamente ativas realizando atividades físicas em suas casas, levando em conta elementos importantes como gosto, preferência, habilidade em fazê-las, segurança, tempo livre disponível e as estruturas das casas.

Seguimos atentos às recomendações técnico-científicas das autoridades sanitárias e entidades científicas da área, torcendo para que nossas vidas voltem ao normal o quanto antes possível.

 

Atenciosamente,

Diretoria Executiva e Conselho Fiscal (2020–2022)

Sociedade Brasileira de Atividade Física e Saúde

www.sbafs.org.br